Inventário Florestal

O que aprendemos com mais de 10.000 inventários florestais

inventários florestais
Escrito por Fernanda Carvalho

O Mata Nativa surgiu em 2001, em um tempo onde poucas pessoas tinham acesso a computadores e praticamente não existia nada muito tecnológico relacionado ao setor florestal. Ao longo desses 16 anos, pudemos acompanhar toda a evolução do setor, vendo as máquinas e equipamentos serem aprimorados e até o surgimento de outros softwares que são hoje indispensáveis para o trabalho do Engenheiro Florestal.

Vimos temas como o apagão florestal, desmatamento da Amazônia e extinção de espécies serem debatidos incansavelmente. Vimos os altos e baixos do mercado, o Brasil sofrer com a crise e como o profissional se adaptou a isso. E a este, devemos um grande elogio. Em 2016, no auge da crise, era evidente o quanto o número de vagas de empregos florestais diminuiu, para recém formados então, estava impossível conseguir um emprego. O profissional poderia simplesmente reclamar e continuar tentando se cadastrar nas poucas vagas, mas isso não aconteceu. Vários destes decidiram se arriscar no ramo da consultoria florestal e ambiental, montaram suas empresas e aos poucos estamos vemos que com o reaquecimento da economia, estas empresas estão crescendo. Como consultora do Mata Nativa, pude acompanhar diversos clientes iniciando nesta trajetória e é muito evidente que os cálculos do inventário florestal são o maior desafio para quem começa na área. Foi gratificante ver o quanto o Mata Nativa tem facilitado e otimizado o trabalho dos Engenheiros Florestais.

Saiba também: Cálculos do Inventários Florestais e suas Interpretações

Raros softwares nacionais conseguiram se manter no mercado por tanto tempo e sabe qual é o nosso segredo? Antes de tudo, nos preocupamos em entender as dificuldades de quem trabalha com inventário, nos prontificamos a fazer um software completo e acima de tudo, entendemos que o nosso trabalho é para otimizar o trabalho de nossos clientes, através de um software que realiza todos os cálculos do inventário florestal, economizando tempo, custo e oferecendo toda confiabilidade dos resultados obtidos.

Pudemos aprender muito sobre o mercado florestal e como o inventário florestal é protagonista no setor e, por isso, vamos levantar alguns pontos que aprendemos com a experiência de mais de 10.000 inventários feitos com o Mata Nativa:

Trabalhar com inventários florestais é muito vantajoso

Digo vantajoso porque mesmo quando vários setores operam em queda, os inventários florestais seguem em alta. É uma área com muita demanda e se os trabalhos forem entregues com qualidade, é possível se estabelecer no mercado com poucos meses de atuação.

Sem contar que é um trabalho muito dinâmico, revesando entre trabalhos de campo, realização dos cálculos e elaboração dos relatórios. Muitas pessoas tem dificuldade com rotina, e isso nunca vai acontecer com quem trabalha com inventário. Na maioria das vezes, o engenheiro florestal tem que se deslocar para áreas distantes e tem a possibilidade de trabalhar em diferentes biomas.

O trabalho de campo é pesado

Antes de iniciar o trabalho de campo, é necesário que se faça um planejamento bem estruturado, atentando-se para todos os ítens necessários para a realização dos trabalhos. Esquecer alguma ferramenta básica, pode custar o dia de serviço de uma equipe inteira.

Trabalhar dentro da floresta é muito gratificante, principalmente para os apaixonados pela profissão, mas sabemos dos percalços que podemos encontrar durante as empreitadas. Nem sempre as condições da área não as melhores e muitas vezes a foresta é muito fechada, cheia de espinhos, cipós, mosquitos e serpentes. Algumas vezes temos que caminhar por terrenos difíceis, íngrimes, em que é difícil até para se manter em pé.

Condições climáticas, perdas ou danos em equipamento e acidentes, também podem ocorrer, e a equipe deve estar preparada para saber lidar com esses acontecimentos.

Algumas vezes a mata é tão fechada, que é difícil até para enchegar a copa das árvores para a medição da altura, e nessas horas, a experiência em campo vai ajudar.

 A adequação à legislação é uma preocupação constante

Conversamos todos os dias com Engenheiros Florestais de todo o Brasil e é incrível ver como as exigências mudam de um estado para o outro. Consultores que trabalham em regiões próximas a divisas de estados sofrem muito com isso, pois dependendo do estado em que a área de trabalho se encontra, diferentes métodos e relatórios deverão ser utilizados. Aliás, é muito comum o deslocamento da equipe para diferentes estados para a realização da coleta de dados.

A equipe deve se adequar às exigências do órgão ambiental do estado, até porque a aprovação do projeto está atrelada a isto.

Na legislação, o erro de amostragem admissível é de 10% com confiabilidade de 90% de probabilidade. O erro é dependente da variação do volume das árvores dentro das parcelas e o volume entre parcelas. Quanto mais heterogênea a área, maior deverá ser o número de parcelas instaladas para atender o erro.

A reprovação de projetos é o maior medo de quem trabalha com inventário florestal

Ter um projeto reprovado não é nada bom. O cliente geralmente tem urgência em ter o projeto aprovado e o retrabalho pode atrasar os prazos. Fora a confiança no trabalho. Quando um cliente te contrata para realizar um inventário, ele quer que o resultado seja um projeto com qualidade.

Na maioria das vezes, os projetos são reprovados por não adequação às exigências do órgão ambiental ou por erros nos cálculos.

Entenda também: Maiores motivos de reprovação de inventários florestais junto ás secretárias de meio ambiente

A exatidão de um inventário florestal é dada pelo erro total, que é a diferença entre a estimativa de uma amostra e o valor verdadeiro da população. Inclui, portanto, erros de amostragem e erros sistemáticos, que podem ter origem nos procedimentos de amostragem ou em erros de medição.

A precisão da estimativa de um inventário florestal é determinada pelo método de amostragem empregado. O método deve ser escolhido de acordo com a variabilidade da população em estudo, para que os resultados obtidos sejam confiáveis.

O Mata Nativa foi testado exaustivamente ao longo dos anos e a sua exatidão nos cálculos é comprovada, por isso tantas pessoas utilizam o nosso software com a confiança de que os resultados serão precisos e nunca reprovados.

Quer conhecer o Mata Nativa? Faça o download clicando AQUI.


Veja também:

Comentários

Sobre o autor

Fernanda Carvalho

Engenheira Florestal formada pela Universidade Federal de Viçosa. Continuou seus estudos na Technische Universität München, Alemanha, onde cursou disciplinas do Mestrado em Manejo de Recursos Sustentáveis com ênfase em Silvicultura e Manejo da Vida Selvagem. Dedicou grande parte da graduação a projetos de Educação Ambiental e pesquisas relacionadas a Celulose e Papel. Foi estagiária do Meio Ambiente Florestal da Fibria Celulose S/A trabalhando principalmente com Restauração Florestal e Formação Ambiental. Trabalhou com consultoria na Florestal jr, atuando principalmente em projetos de Inventário Florestal, Averbação de Reserva Legal e Mapeamento de Áreas. Atualmente trabalha como consultora do Software Mata Nativa na Cientec.