Inventário Florestal

Como preparar sua planilha de monitoramento

O Inventário florestal contínuo ou monitoramento, conforme mencionado no post “Monitoramento ou Inventário Florestal Contínuo”, tem por objetivo verificar as mudanças que ocorrem na floresta em um determinado espaço de tempo. São medições repetidas periodicamente, com uma estrutura de amostragem permanente que possibilita a remedição dos indivíduos ao longo do tempo.

Dessa forma, para realizar o monitoramento de uma determinada área é necessário criar uma planilha de Excel, contendo todos os anos de monitoramento, um ao lado do outro. Na Figura 1 encontra-se o modelo de planilha a ser elaborada. Repare que as informações padrão que devem constar na planilha geral são: parcela, número da árvore, nome comum, CAP e altura total.

planilha de monitoramentoFigura 1 – Modelo da “Planilha Geral” de monitoramento.

No monitoramento, são realizadas medições em dois momentos. Sempre que houver medição de árvores no segundo momento, e não foram medidas no primeiro momento, essas serão tratadas como ingresso (ingrowth). Já as árvores que foram medidas no primeiro momento e não foram no segundo, serão tratadas como mortas. Lembrando que não se deve colocar as medidas de árvores mortas com o número “0” e sim deixar a célula vazia. Isso também vale para as árvores que ingressaram na segunda medição, que na primeira ocasião não foram medidas, e também terão suas células de CAP e Ht vazias.

Após criar a “Planilha Geral”, deverá ser criada a “Planilha Espécies Exclusivas” contendo uma lista de espécies exclusivas de todos os anos de monitoramento, atribuindo às espécies um código, numerando-os de 1 a n. Essa planilha é necessária para que não haja duplicidade de espécies quando o Mata Nativa 4 codificar as espécies que foram coletadas.

A seguir, os passos para criar a planilha.

Planilha de espécies exclusivas

1– Dentro da Planilha Geral, selecionar toda a coluna do Nome Científico ou do Nome Comum, clicando sobre a letra da coluna correspondente.

2– Clicar no menu Dados do Excel e clicar no botão “Avançado”, dentro da opção Classificar e Filtrar.

3– Marcar a opção “Somente registros exclusivos” e clicar no botão OK. Este processo mostrará apenas as espécies sem repetição, ou seja, exclusivas.

4– Selecionar todas as colunas que possuem referência às espécies, como Nome, Proibida de Corte, etc. e copiar, clicando em ( CTRL+C ).

5– Colar escolhendo a opção “Valores” dentro de uma nova planilha chamada Planilha Espécies Exclusivas.

6– Se quiser, nesta planilha de espécies exclusivas, ordenar as colunas padronizando pelo Nome Comum ou Nome Científico.

7– Criar uma coluna nesta planilha de espécies exclusivas, com os códigos das espécies, numerando de 1 a n.

8– Feito isso, a planilha contendo as espécies exclusivas estará finalizada e pronta para importação.

Criada a Planilha Espécies Exclusivas, deverá ser criada uma planilha para atribuir códigos para árvores. A seguir, os passos para criar a planilha.

Atribuir códigos para árvores

1– As espécies exclusivas com a coluna código e a coluna Nome deverão estar nas primeiras 2 colunas à esquerda desta planilha, colunas A e B.

2– A coluna das espécies das árvores é posicionada na terceira coluna desta planilha, coluna C.

3– Em seguida escolhe-se uma coluna para atribuir os códigos das espécies para as árvores, através da fórmula de PROCV, cuja fórmula pode ser vista clicando-se numa célula da coluna E. O padrão da fórmula é:

=PROCV (Árvore; Onde os dados das espécies estão; coluna dos códigos; Falso)

4– Após obter o resultado para a 1ª célula, deve-se dar 2 cliques na cruzeta do canto inferior direito para que toda a coluna seja preenchida com resultados.

5– Por fim, cria-se uma nova planilha chamada Planilha Geral + Cód. das Espécies, que conterá os dados da Planilha Geral mais uma coluna com os códigos de resultados do PROCV como “Valores”.

Após a atribuição do código das espécies, deverá ser criada uma nova Planilha Geral, porém com o códigos, que demos o nome de “Planilha Geral com Cód. Esp.”

A seguir, os passos para criar a planilha.

Planilha geral com código das espécies

Nestes passos serão feitas as separações dos anos de monitoramento para realizar a importação.

1– Através do menu “Página Inicial” do Excel, clique em “Classificar e Filtrar” e em seguida na opção “Filtro”.

2– Faça um filtro para cada ano de monitoramento por vez, neste caso para 2012 e 2013. O filtro deverá remover as células em branco. Para isso, escolhe-se uma medição (CAP, DAP ou Altura) e faz-se o filtro.

3– Com o resultado obtido do filtro para o ano de 2012, seleciona-se as colunas: Parcela; Nº Árv.; Nome Comum; Cód. da Espécie; CAP 2012; Alt. Total 2012. Em seguida copia-se essas colunas pressionando ( CTRL + C ).

4– Após copiar, cria-se uma nova planilha chamada Medição 2012 e cola-se a seleção.

5– Retira-se o filtro para o ano de 2012 e cria-se um novo filtro para o ano de 2013, removendo as células em branco. Em seguida seleciona-se as colunas: Parcela; Nº Árv.; Nome Comum; Cód. da Espécie; CAP 2013; Alt. Total 2013. Em seguida copia-se essas colunas pressionando ( CTRL + C ). Em seguida copia-se essas colunas pressionando ( CTRL + C ).

6– Após copiar, cria-se uma nova planilha chamada Medição 2013 e cola-se a seleção.

Cabe lembrar que na realização do processamento de projetos de monitoramento é de extrema importância que as planilhas para importação estejam bem alinhadas e consistentes para que o software consiga realizar a correta leitura dos dados importados.

Achou complicado? Não se preocupe, disponibilizo através do link abaixo, uma Planilha Modelo de monitoramento para que você possa realizar todos os passos supracitados.

 

Comentários

Sobre o autor

Marcelo Christovam Simões

Formado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa, iniciou os primeiros trabalhos de inventário florestal, de florestas nativas e plantadas, na DAP Engenharia Florestal em 2006. Desde então, teve como experiências o planejamento e execução de inventários para empresas do setor privado, como ArcelorMittal, Vale, MCR - Mineração Corumbaense Reunida S.A, MRS Logística S.A, SIMASA – Siderúrgica do Maranhão S/A e também do setor publico, como CEMIG e SFB – Serviço Florestal Brasileiro. Em 2014, participou do Inventário Florestal Nacional do Rio Grande do Norte como líder de equipe e coordenador geral de campo, através da empresa Building Forests. Posteriormente, integrou a equipe técnica da Brandt Meio Ambiente, passando pela experiência de trabalhos com projetos de licenciamento ambiental. Atualmente é Consultor de Vendas
do Software Mata Nativa 4.