Método de Quadrante

Este método se baseia no fato de que o número de árvores por unidade de área pode ser calculado a partir da distância média entre árvores (CURTIS & McINTOSH, 1950; ASHBY, 1972; MUELLER-DUMBOIS & ELLENBERG, 1974; MARTINS, 1979; SILVA JUNIOR, 1984).

Em cada ponto de amostragem estabelece-se uma cruz formada por duas linhas perpendiculares com direção convencionada, delimitando 4 quadrantes; em cada quadrante mede-se a distância do ponto até o centro do tronco da árvore mais próxima e registra-se a população (espécie ou outro táxon primário) a que o indivíduo pertence.

Leia também: 7 passos para instalação e medição de parcelas

Assim, a determinação de densidade é uma questão de saber a área média ocupada por um indivíduo.

Distância Corrigida ( D cor )

Para um único fuste:

Método quadrante distância centro do tronco

Para árvores com mais de um fuste:

Método quadrante distância média dos fustes

Área do ponto ( A ponto ) - Correção logarítmica da distância

Método quadrante

em que:

N = número de pontos

n = número de árvores

Área do ponto ( A ponto ) - Correção logarítmica da distância

Método quadrante

Densidade absoluta e relativa

Método quadrante

Dominância absoluta e relativa

Método quadrante

Freqüência absoluta e relativa

Método quadrante

Onde:

N – número total de indivíduos amostrados;

ni – número de indivíduos amostrados da espécie i;

ABi – área basal da espécie i;

U – unidade de amostragem(ha);

d – distância da árvore ao ponto de amostragem;

ABT – área basal total;

Pi – número de pontos onde ocorre a espécie i;

P – número total de pontos de amostragem;

Pi – número de parcelas de raio variável (pontos) onde ocorreu a espécie i.

 

Veja também: Importando dados do Excel para o Mata Nativa