Utilizado para planejar e executar os cortes seletivos, de modo a manter a tendência natural da distribuição diamétrica; estimular o crescimento das árvores das espécies desejáveis e de valor comercial e, ao mesmo tempo, melhorar a qualidade do produto ou dos produtos pretendidos; manter a biodiversidade; e sustentar a estrutura diamétrica balanceada.

O Método BDq implica no conhecimento prévio da área basal remanescente ( B ), do diâmetro máximo ( D ) desejado e do quociente ( q ) de De Liocourt cujas estimativas são obtidas a partir de um inventário florestal, executado nos padrões requeridos para a coleta de dados necessários à elaboração do plano de manejo florestal.

Diferentes combinações dos parâmetros B , D e q quando substituídas nas expressões (MEYER, 1952, SMITH & LAMSON, 1982, CAMPOS et al , 1983):

Estrutura;   Estrutura

Resultam em distintos valores de b 0 e b 1 que, se empregados na expressão:

Estrutura

Fornecem diferentes alternativas de colheitas em que:

Y j = representa a estrutura diamétrica balanceada.

Y= número de árvores por hectare

e= base dos logaritmos neperianos

Estrutura e Estrutura = parâmetros a serem estimados

D j = centro de classe de DAP, em cm.

Veja também: Como estabelecer os custos do inventário florestal